quinta-feira, 31 de maio de 2012

A Terceira Conversão



"Todavia, assim como vocês se destacam em tudo: na fé, na palavra, no conhecimento, na dedicação completa e no amor que vocês têm por nós, destaquem-se também neste privilégio de contribuir." (2 Coríntios 8:7)

A história que se conta de Sam Houston, herói texano da história dos E.U.A., é que ele entregou sua vida a Jesus nos últimos anos de sua existência e pediu para ser batizado. Ele foi levado para um pequeno riacho e o pastor lhe disse: "General Houston, tire os óculos, porque eu vou mergulhá-lo na água." Havia também alguns documentos nos bolsos do General Houston. Ele também os tirou.

Quando ele estava se preparando para entrar na água, o pastor notou que o General Houston ainda tinha a sua carteira no bolso. Então alertou-lhe: "General! Se o senhor não tirar a sua carteira, vai molhá-la totalmente."

Houston respondeu: "Se há alguma parte de mim que precisa ser batizada, é a minha carteira." Então ele foi batizado com carteira e tudo.

Jesus disse: "Dêem, e lhes será dado: uma boa medida, calcada, sacudida e transbordante será dada a vocês. Pois a medida que usarem, também será usada para medir vocês". (Lucas 6:38)

Talvez você pense:: "Ah, se eu tivesse um milhão de dólares, eu contribuiria mais para a causa do Senhor." Mas isso não é necessariamente verdade. Isso é relativo. Talvez você ache que não pode se dar ao luxo de dar, mas na verdade você não pode é se dar ao luxo de não dar. Dar deve ser uma alegria, um privilégio. E também é sempre uma oportunidade.

Receber pela Generosidade



"Há quem dê generosamente, e vê aumentar suas riquezas; outros retêm o que deveriam dar, e caem na pobreza." (Provérbios 11:24)

Uma mãe que queria ensinar sua filha a alegria da doação lhe deu um dólar e vinte e cinco centavos em moedas para levar à igreja num domingo de manhã. Ela contou à filha que ela poderia doar qualquer uma das moedas. A escolha seria sua. Quando estavam saindo da igreja, a mãe perguntou à filha o que ela acabou dando ao Senhor. 

A menina respondeu: "Eu ia dar um dólar, mas pouco antes da oferta, o homem no púlpito disse que deveríamos dar com alegria. Eu sabia que ficaria muito mais alegre se apenas desse vinte e cinco centavos de dólar." 

É justamente assim que muitos de nós agimos. Nós pensamos: "Eu não fico contente em doar, então acho que seria melhor manter minha doação comigo." Mas precisamos entender que Deus quer mudar os nossos corações. Precisamos descobrir a alegria de dar. E se ainda não descobrimos, então precisamos pedir a Deus para mudar os nossos corações, porque dar é uma bênção. Podemos experimentar alegria nisso. 

Jesus disse: "Há maior felicidade em dar do que em receber" (Atos 20:35). Novamente, é difícil para as crianças envolverem suas mentes em torno do que é verdade. Mas à medida que envelhecemos, e especialmente se nós nos tornamos pais, descobrimos a alegria de dar. Nós realmente encontramos mais prazer em dar do que em receber. Em outras palavras, a Bíblia está dizendo: se você quer ser uma pessoa feliz, então, seja uma pessoa generosa. Se você quer ser uma pessoa feliz, então, dê com alegria.

Dar de Coração



"E não somente fizeram o que esperávamos, mas entregaram-se primeiramente a si mesmos ao Senhor e, depois, a nós, pela vontade de Deus." (2 Coríntios 8:5)

A Bíblia oferece vários exemplos de pessoas que amavam dar. No Antigo Testamento, lemos que, quando o tabernáculo estava sendo construído, os israelitas foram tão generosos e abençoados nesta ocasião que Moisés teve que lhes dizer: "Tudo bem, rapazes. Basta! Temos mais do que precisamos. Não tragam mais nada." Aquelas pessoas entenderam a bênção que há em dar.

E o Novo Testamento fala de crentes que amavam dar, e até mesmo imploravam a Paulo, para que este lhes permitisse dar. Paulo declarou sobre estes crentes: "eles nos suplicaram insistentemente o privilégio de participar da assistência aos santos” (2 Coríntios 8:4). Ouvimos falar de pastores que imploram à sua congregação para que contribuam com dinheiro, mas esta era uma congregação que implorava para contribuir.

Então qual foi o segredo da generosidade destes crentes? Paulo menciona no verso seguinte: "E não somente fizeram o que esperávamos, mas entregaram-se primeiramente a si mesmos ao Senhor e, depois, a nós, pela vontade de Deus" (2 Coríntios 8:5). Veja que, se você dá de si mesmo a Deus, você também vai dar do seu dinheiro. Colocando de outra forma: se você não dá do seu dinheiro, você realmente dá de si mesmo?

Você pode pensar: "Bem, Senhor, tu és soberano sobre todas as áreas, exceto esta. Isso é meu, mas o resto é seu." Deus pode ter o seu dinheiro e não ter seu coração. Mas Ele não pode ter o seu coração e não ter o seu dinheiro.

Missões Brasil: Um SOS vindo do Pará






Sou a Missionária Kelem Gaspar ( missgaspar@ig.com.br), e há sete anos, eu, meu esposo Dulcival e nossa filha Eduarda estamos trabalhando no município de Maracanã, interior do Estado do Pará, somos ligados a Assembleia de Deus no estado do Pará e mantidos pela Assembleia de Deus de Madureira em Nova Venécia, no ES. Nos anos anteriores eu trabalhei com missões indígenas e ribeirinhas no Brasil, na Bolívia e no Peru. Viemos para cá para desenvolver um trabalho missionário nessa região e, no início não foi fácil, passamos anos morando em uma pequena casa de palha, sem água encanada e sem luz elétrica, mas sabíamos que Deus havia nos trazido para cá. Certa vez, descobri uma enorme cobra jibóia morando entre meus livros. Foram anos de muita luta. 

Tenho dedicado minha vida desde os quinze anos  ao serviço do meu Senhor Jesus e, se tivesse mil vidas, eu as viveria da mesma maneira. Porque meu Deus é absolutamente fiel e totalmente digno de confiança. Estar no centro da vontade de Deus não significa que não somos provados ou que não sofremos, mas significa que Deus está conosco em meio as provações e sofrimentos. 

Estamos desenvolvendo três projetos, o primeiro, Deus colocou em nosso coração para atender as crianças da comunidade, que precisavam de ajuda na alfabetização, na complementação alimentar e na evangelização e discipulado. Para nos ajudar com esse projeto, Deus levantou a missionária Nalvinha (nalvinhamissionaria@hotmail.com) uma jovem solteira, pedagoga, altamente comprometida com o reino e com a sua chamada missionária. Ela nos foi enviada pela IEADERN ( Assembleia de Deus do Rio Grande do Norte), e tem se dedicado muito a essa tarefa. Iniciamos o projeto para atender 10 crianças, já que nós tínhamos que arcar com os custos com alimentação e material escolar. Mas Deus mandou mais crianças do que o esperado, hoje estamos com 58 crianças matriculadas. O nome da creche escola é PENIEL, que significa vendo Deus face a face. E vemos diariamente pequenos milagres acontecendo.


Depois de muita espera, Deus nos deu a vitória de termos nosso uniforme, na creche escola Peniel. Obrigado ao Pr. Joel Conceição (Salvador-Ba)que se envolveu nesse projeto e não parou até vê-lo concretizado. Para nós e para nossas crianças, significa muito

Muitas de nossas crianças, vivem em casas de barro, seus pais são catadores de caranguejo e são mal alimentadas. Ás vezes perguntamos: o que você almoçou hoje? e a resposta é: chibé ( água com farinha). Corta o coração. Muitos chegaram aqui sem saber ler e sem conhecer nada do alfabeto.É um trabalho árduo. Mas, o mais importante é que aqui essas crianças conheceram a Deus, aprenderam a orar, a cantar os hinos da harpa, estão memorizando as escrituras e modificando suas condutas. O projeto já está no seu segundo ano.

O milagre das maçãs 

Um dia, um dos alunos disse que sua fruta preferida era maçã, mas que ele nunca havia comido, só visto. Eu fui correndo ver quanto tinha no caixa da creche... mas o valor não dava para comprar uma maçã para cada aluno, então convidei a turma para orar e oramos para que Deus nos desse maçãs. No final de semana seguinte fui pregar na cidade de Castanhal e o dirigente nos deu de oferta, sem que eu tivesse dito nada, uma caixa cheinha de maçãs. É assim que o nosso grande Deus, demonstra estar atento ao desejo de uma pobre criança no meio da selva amazônica. 

 Crianças assistidas pela missão no Pará

Além da merenda diária, tivemos que contratar 3 professores e 6 ajudantes para ajudarem no trabalho, cada professor recebe a ajuda de R$ 150,00 e cada ajudante recebe R$ 25,00 por mês. É pouco, mas todo mês precisamos de um milagre para cobrir essa folha de pagamento. E ainda tem o fato de que muitas  crianças, ao precisarem de qualquer coisa, pedem aqui, seja uma sandalinha, uma calcinha, um remédio, uma roupinha...tudo. São muitas as necessidades. Mas Deus tem nos ajudado. 

Então, iniciamos pela fé, a construção da creche, fizemos dois bazares e alguns outros eventos para levantar recursos para a construção. Estamos lutando a mais de um ano e a construção ainda está longe de acabar. Na quinta feira passada, recebemos uma oferta de R$5.000,00 em material de construção, pedi ao pedreiro para fazer a relação de material para essa etapa, o orçamento deu R$ 9.000,00 mais R$ 2.000,00 de mão de obra. Fiquei sem saber o que fazer. Então cortei R$ 2.000,00 da lista, paguei R$ 1.000,00, parcelei R$ 1.000,00 no cartão de crédito e preciso de mais R$ 2.000,00 para pagar a mão de obra dessa primeira parte do serviço. ( que inclui reboco, telhado e banheiro). Vai ficar faltando cozinha, refeitório e piso. Mas estamos avançando. Jesus é bom.

 A construção da creche parou por falta de recursos.

O segundo projeto é o Projeto Rio Jordão, no Derrubado, que é uma comunidade distante 40 minutos de barco daqui de Maracanã. Enviamos dois missionários, Paulo e Bia (abiasramos@ig.com.br) para trabalharem para Jesus nesse lugar, eles foram cheios de amor e tem se dedicado muito a propagação do evangelho, muitas vezes, eles tem dividido sua cesta básica com os irmãos, que sobrevivem basicamente da bolsa família e da pesca. A distancia entre as casas é grande e eles andam quilômetros a pé, para visitar as famílias, e sentarem-se para dividir um pouco de farinha e ás, vezes um caldo de feijão. Paulo e Bia recebem uma ajuda da Assembleia de Deus em Mosqueiro-Pa e de Nova Venécia-ES. Mas somando as duas ainda não chega a um salário mínimo, eles tem orado muito por uma moto e por uma canoa com motor para poder atender outras comunidades ribeirinhas. Só um milagre.


O terceiro projeto é o curso de missões Pakau Oro Mon, que tem 6 alunos e funciona aos sábados aqui na sede do projeto. Esse curso prepara missionários para alcançarem outras culturas para Cristo. Temos nos esforçado manter esse curso funcionando. Desejamos expandi-lo, formar mais missionários, ajudá-los em seu projetos para salvar os perdidos. Enfim, conquistar para o Cordeiro a recompensa pelos seus sofrimentos. Temos consciência de que fazemos muito pouco e nada além de nossa obrigação,  mas se tivermos sua ajuda, vamos fazer muito mais. Tudo o que chega aqui é investido no Reino, nossa meta são as almas.
Kelem Gaspar
(91) 96321640
Banco do Brasil
Ag 1436-2
C/c 6993-0.
Você também poderá ajudar com envio de roupas, calçados, livros, material escolar e o que mais se dispuser. A forma de envio mais em conta é através do transporte da Itapemirim. Na encomenda deve ir identidade e cpf do destinatário, no caso a Kelem Gaspar, esses dados podem ser pegos com a própria Kelem no telefone acima.

Deus abençoe a todos.

quarta-feira, 30 de maio de 2012

Hoje, a mensagem de Deus para você é encontre o seu ritmo. A vida não deve ser como uma maratona que temos pressa para terminar. É uma viagem, uma peregrinação de caminhos e a linha de chegada nunca será alcançada. Considere que a vida seja mais como um mera corrida. à medida que se passa por esta vida e para o próxima, é como passar um bastão ou tocha para a próxima geração. Nós, então, iremos para o nosso descanso final sabendo que participamos grandiosamente e que a nossa contribuição para o mundo foi digna

Benção Para Ser Benção






"Aquele que supre a semente ao que semeia e o pão ao que come, também lhes suprirá e aumentará a semente e fará crescer os frutos da sua justiça." (2 Coríntios 9:10)

Um pastor certa vez perguntou a um fazendeiro em sua congregação: "Se você tivesse R$200 você daria R$100 para Deus?"

"Sim pastor, eu daria" o fazendeiro respondeu.

Assim, o pastor perguntou: "Se você tivesse duas vacas, você daria uma delas a Deus?"

"Sim, daria", respondeu ele.

Então o pastor disse: "Agora, se você tivesse dois porcos, você daria um deles a Deus?"

"Agora não é justo", disse o fazendeiro. "O senhor sabe que eu tenho dois porcos."

Estamos confortáveis com a ideia de dar enquanto o assunto está na teoria. Mas para muitos de nós, quando  passa para a prática, achamos que não é com a gente, que é outra coisa. No entanto, como damos a Deus, Ele vai nos dar. A Bíblia diz: "E Deus é poderoso para fazer que lhes seja acrescentada toda a graça, para que em todas as coisas, em todo o tempo, tendo tudo o que é necessário, vocês transbordem em toda boa obra." (2 Coríntios 9:8). Deus tem abençoado você para que seja uma bênção para outros. Este versículo não está dizendo que você deve dar para receber, mas sim que quando você recebe de Deus você deve dar, e Deus vai abençoar a sua generosidade e dar-lhe mais para que você possa dar novamente.

Deus faz uma promessa radical no Livro de Malaquias: "[...] 'Ponham-me à prova', diz o Senhor dos Exércitos, 'e vejam se não vou abrir as comportas dos céus e derramar sobre vocês tantas bênçãos que nem terão onde guardá-las.'" (Malaquias 3:10). Deus nos abençoará conforme damos a Ele.

ORAÇÃO DE CONFISSÃO

       DEVEMOS RENUNCIAR AS PALAVRAS NEGATIVAS QUE COSTUMAMOS DIZER E USAR PALAVRAS BÍBLICAS. NOS MOMENTOS DIFÍCEIS QUE VENHAMOS VIVENCIAR, DEVEMOS SOBRETUDO FAZER AFIRMAÇÕES POSITIVAS E PROCLAMAR VITÓRIA, MESMO DIANTE DAS CIRCUNSTANCIAS ADVERSAS. 
       A PALAVRA DE DEUS É A NOSSA ARMA DE VITÓRIA.

      FIL. 4.08 NOS DIZ QUE "QUANTO AO MAIS, IRMAOS, TUDO O QUE É VERDADEIRO, TUDO O QUE É HONESTO, TUDO O QUE É JUSTO, TUDO O QUE É PURO, TUDO O QUE É AMÁVEL, TUDO O QUE É DE BOA FAMA, SE HÁ ALGUMA VIRTUDE, E SE HÁ ALGUM LOUVOR NISSO PENSAI."

     EF. 06.17, NOS AFIRMA QUE "TOMAI TAMBËM O CAPACETE DA SALVACAO, E A ESPADA DO ESPÍRITO, QUE É A PALAVRA DE DEUS".

                                                  
                                           ORACAO DE CONFISSAO

     A MINHA MENTE SEDE DA MINHA ALMA, NAO SERÁ DEPÓSITO DE LEMBRANCAS NEGATIVAS, MAS SERÁ CHEIA DA PALAVRA DE DEUS. EM NOME DE JESUS, EXPULSO DA MINHA MENTE, TODO PENSAMENTO, TODA IMAGEM, TODO RACIOCÍNIO, TODO PRINCÍPIO QUE NAO SE AJUSTA A PALAVRA DE DEUS. TOMO CADA PENSAMENTO CATIVO A OBEDIËNCIA DO SENHOR JESUS.
     COLOCO SOBRE A MINHA CABECA O CAPACETE DA SALVACAO, E DISPONHO-ME A RENOVAR MINHA MENTE, COM O ESTUDO DA PALAVRA, ATÉ QUE REFLITA EM MIM A MENTE DE JESUS NA PESSOA DO ESPÍRITO SANTO, QUE HABITA EM MIM.
     EM NOME DE JESUS, REJEITO TODA CADEIA CONSTRUIDA EM MINHA MENTE, E NA AUTORIDADE DO NOME DE JESUS, SEJA QUEBRADA TODA A PRISAO, TODO ENGANO, TODA FORTALEZA CONSTRUIDA DESDE A INFANCIA. EXPULSO TODA INFLUENCIA MALIGNA E RESISTO A TODAS AS FORCAS INVISÍVEIS DAS TREVAS, QUE TENTAM PERTURBAR A MINHA MENTE, COM PENSAMENTOS DE DÚVIDA, REBELDIA, INCREDULIDADE, SENSUALIDADE, PORNOGRAFIA, MENTIRA, MEDO, DEPRESSAO, MÁGOA, ÓDIO, AMARGURA E COISAS SEMELHANTES EM NOME DE JESUS.
    TODAS AS CADEIAS DA MENTE, JOGO POR TERRA AGORA, EM NOME DE JESUS. VENHA AGORA A TUA LUZ E A TUA PAZ SOBRE A MINHA MENTE, SENHOR.
     REFORCA SENHOR A GUARDA DOS TEUS ANJOS EM VOLTA DE MIM. FORTALECE MINHA MENTE, MINHA VONTADE E O MEU ESPÍRITO.
     RECEBO AGORA A TUA PAZ PARA MINHA MENTE, MINHAS EMOCOES E O MEU CORPO, CONCEDE-ME A VITÓRIA PARA QUE MINHA MENTE SEJA RENOVADA E EU SEJA UM CANAL TRANSPARENTE, PARA O FLUIR DO TEU ESPÍRITO.
    LIBERTA-ME DAS TRADICOES HUMANAS E DÁ-ME A GRACA DE VIVER EM TUA PRESENCA, COM UMA MENTE LIVRE E INTEIRAMENTE CONSAGRADA A TI.
    TE LOUVO E DOU-TE GRACAS. PORQUE FARÁS INFINITAMENTE MAIS DO QUE EU PENSO E TE PECO NO MARAVILHOSO NOME DE JESUS. AMÉM!!!

    OBS: A FALTA DO CEDILHA E DO TIL NAO É UM ERRO ORTOGRÁFICO, MAS UM PROBLEMA NO TECLADO.

quarta-feira, 23 de maio de 2012

SEM SAÍDA OU NAS MÃOS DE DEUS?



O SENHOR PELEJARÁ POR VÓS, E VÓS VOS CALAREIS (EX 14:14).

Neste momento o povo estava verdadeiramente espremido pela terrível circunstância que os pressionava. Ele estava indefeso e com muito medo, pois o inimigo caminhava furiosamente contra ele. Uma ameaça real se aproximava e o pânico tomava conta do povo, esse mesmo povo que há pouco havia obtido uma grande vitória e já começava a respirar o sonho de liberdade. Alguém grita: o exército de Faraó marcha contra nós. E de repente o povo se viu em meio a um problema desproporcional as suas forças e capacidade de resolver, por mais que procurasse, não havia uma saída se quer. Como uma manada de búfalo que pasta tranquilamente sem perceber e de repente uma alcatéia de leões famintos os ataca cercando-os por todos os lados. Foi assim,  o pânico tomou conta daquelas mulheres e seus filhos, e até os mais valentes homens temeram diante do mal que os surpreenderam. O inimigo conseguiu desestabilizá-los emocionalmente e aquelas pequenas àguias logo no vôo inicial estavam sendo tragadas pela tormenta repentina. Tudo perdido, o que fazer?
Queridos, só uma deixa, não se contente com as vitórias na nossa carreira da fé, a ponto de viver como se tudo estivesse acabado. Lembrem-se pois que logo após a vitória vem a provação, e após a provação vem a vitória. Aprendam isto e vai ajudá-los a correr melhor a carreira cristã sem supresas maiores e impedimentos no meio do caminho. O apostolo Paulo nos ensina em Efésios 6:13 “havendo feito tudo ficai firmes”, quer dizer, abram os olhos pois a luta não acabou. Vigiai!!!

Neste quadro encontramos um povo totalmente desprevenido e logo em seguida oprimido ao se ver num beco sem saída. Não são poucas as circunstâncias que nos encontramos em situações semelhantes, em menor ou maior grau de comparação, mas luta é luta e medo é medo e todos temos um limite, é natural. Paulo relata um incidente diferente, mas com uma sensação semelhante a esta quando ele estava na Macedônia. Veja em 2 Coríntios 7:5 “Porque, mesmo quando chegamos à macedônia, a nossa carne não teve repouso algum; antes em tudo fomos atribulados: por fora combates, temores por dentro.” Era exatamente isto, por dentro medo e por fora aflição. 

Uma coisa era bem verdade o final estava perto e a última esperança se esvairia. De um lado faraó e o seu exército avançavam de encontro a um povo desprotegido e cansado do outro lado o mar delimitava o seu limite. Os hebreus estavam entre o mar e faraó e acuados e sem saber o que fazer, para onde ir ou a quem recorrer, sem dizer que ainda estavam cercados pelas montanhas e pelo deserto, sem chances de fuga. 

Agora preste atenção nisto, você talvez não vai acreditar, mas é Deus mesmo quem está te colocando neste grande aperto. Não sei se te alivia, mas é a mais pura verdade. Problemas, problemas, tribulações e tribulações, acuados e oprimidos e sem saída e pior sem ninguém para nos ajudar. Agora surge a pergunta: Por que Deus permite situações como estas? Por que, mesmo servindo a Deus e buscando uma vida santa, temos que viver cercados por tais situações? Ou talvez a maior e melhor pergunta por que o Pai está nos levando a este caminho ou o que Ele está querendo nos ensinar?

Eu  não consigo encontrar outra resposta se não: (1) Deus testa os nossos limites, mas não solta as nossas mãos, para aprendermos a colocar definitivamente a nossa fé no que Ele vai fazer ao nosso favor; (2) Deus quer nos ensinar a experimentarmos o seu amor, cuidado, proteção e poder ainda que venhamos a passar pelos caminhos escabrosos da vida; Para que enfim aprendamos que: “...nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir, nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor”. Sendo assim não estamos nas mãos das circunstâncias, mas sim debaixo de Suas asas e bem guardados como a menina dos olhos do Pai.  

Precisamos saber que são dos lugares apertados que surgem os maiores livramentos de Deus para nós. 

Devemos aprender que nesta hora se desesperar é fazer o jogo do inimigo, este é o momento de olhar pelos olhos da fé para a mão poderosa do Senhor que já se move ao seu favor. Sabendo que esta luta não é nossa e que o Senhor é quem pelejará por nós. Não foi exatamente isto que Moisés disse ao povo: "O Senhor pelejará por vós e vos calareis". Será que podemos entender isto.
Você já experimentou viver o sobrenatural de Deus pelo menos um momento na sua vida, você pode agora começar a crer no seu coração que o Senhor é quem luta nesta batalha por você e a declarar com seus lábios você já venceu em nome de Jesus. Se ainda não fez isto, porque não experimentar agora. Seja a sua luta na sua família, na área emocional, na saúde, no trabalho, financeiro ou ministerial permita-se dar um passo rumo ao impossível acreditando que o Senhor vai te conduzir a uma vitória sobrenatural em nome do Senhor Jesus.

Deus prometeu lugares altos e largos para o seu povo e Ele é poderoso para colocá-los na promessa mesmo que seja necessário passar pelos lugares apertados do caminho. Firme agora os seus pés na Rocha que é Cristo Jesus e continue caminhando passo a passo e de fé em fé para o lugar largo que Ele tem preparado para ti. Prossiga, abra as asas da fé e salte alto e voe para os lugares impossíveis de Deus para sua vida,  em nome de Jesus! Seja livre! O descanso desta tormenta está definitivamente chegando em nome de Jesus.

Deus te abençoe em nome do Senhor Jesus.

Pr. Antonio Cesar Lopes

RESTAURANDO AS MURALHAS



No ano de 444 a.C, 42 grupos trabalhavam incessantemente na reedificação dos muros de Jerusalém. Mesmo sendo um trabalho árduo e que levava tempo a alegria era contagiante. A motivação daqueles trabalhadores era expressada pelo grande trabalho  que realizavam e pela rapidez com que as muralhas eram reerguidas. Pois eles estavam realizando o maior sonho de suas vidas. O muro já estava quase edificado quando de um momento para outro a obra foi interrompida.

Na história das nossas vidas não é diferente, sempre algo acontece para que venhamos abrir mão dos sonhos de Deus para nós. Ao desistirmos perdemos a oportunidade de ver a mão de Deus se movendo poderosamente em nosso favor. Tanto a incredulidade, quanto o sentimento de desistência e os pensamentos negativos nos levam ao desânimo. E não existe um agente mais corrosivo para a alma e prejudicial para o espírito do que a falta de motivação para prosseguir. O Senhor disse a Josué: "Esforça-te e tende bom ânimo...” (Josué 1:8). Porque Deus bem sabia que o medo viria mediante as lutas, o tempo e o duro trabalho que ele teria pela frente. A desistência e a perca de ânimo são um problema instalado na alma que afeta todo desenvolvimento da vida. E eles são o maior responsavél pelas nossas desistências em tudo que iniciamos.

''E sucedeu que, ouvindo Sambalate e Tobias, e os Árabes, os amonitas, e os asdoditas... iraram-se sobremodo. E ligaram-se entre si todos, para guerrear contra Jerusalém, e para os desviarem do seu intento.

Então disse Judá: Já desfaleceram as forças dos carregadores, e o pó é muito, e nós não poderemos edificar o muro" (Neemias 4:7-8 e 10). 

Queridos, não tem jeito, não se enganem, pois o objetivo do inimigo é sempre o mesmo e sempre trabalha para nos levar a desistência, criar para nós um currículo de desistência. Por que, a promessa de Deus só é alçada pela fé, através de muita perseverança e vontade.

O inimigo fez uma grande pressão psicológica para nos arrazar emocionalmente. Neste momento é acionado um inimigo interno: o desânimo. Ele nos ataca numa área que faz parte da natureza humana, para que mais uma vez venhamos a abrir mão, declarar derrota e desistir. As palavras do valente Judá foi: "Já desfaleceram as forças... não poderemos edificar o muro". Quer dizer, desistiremos, não vale a pena continuar, chega, cansei!!!
Eles olharam para o tamanho do problema que vinha contra eles e viram o quanto eram tão pequenos e indefesos. O inimigo de dentro começou a agir no coração dos que trabalhavam e logo o desânimo tomou conta de todos. Eles chegaram à triste conclusão que as forças não eram suficientes e não iriam conseguir chegar até o fim. 

Porem chega Neemias e muda completamente aquele quadro e os faz enxergar a mão de Deus. Ele disse: “E olhei, e levantei-me, e disse aos nobres, aos magistrados, e ao restante do povo: Não os temais; lembrai-vos do grande e terrível Senhor, e pelejai pelos vossos irmãos, vossos filhos, vossas mulheres e vossas casas (Neemias 4:14).”

Durante o meu tempo de peregrinação eu aprendi duas coisas, a primeira: O Senhor usa as pessoas para nos ajudar a enxergar melhor sua vontade e seus planos para nossas vidas. E o inimigo usa pessoas para nos fazer desistir rápido do alvo de Deus para nós.

Der repente chega alguém que possuía uma visão diferente. Neemias não temia os homens e tinha certeza que a poderosa mão de Deus estava com ele. A palavra de Neemias encheu o coração daqueles homens de ânimo novamente e os fizeram crer que era possível prosseguir e vencer ainda que as circunstâncias eram contra eles. Ainda que aos olhos naturais não fosse possível, portanto agora seria possível porque a mão do Senhor era sobre eles para ajudá-los.

Hoje Deus tem uma palavra libertadora para sua vida que sem dúvidas pode tirar toda e qualquer raíz de desânimo no seu coração e transplantar esperança para prosseguir vencer o seu desafio em nome do Senhor Jesus. Assim te diz o Senhor: "Nao te mandei eu, esforça-te e tende bom ânimo, não temas; não te espante; porque o Senhor teu Deus é contigo, por onde quer que andares" (Josué 1:9).


Lembre-se, o Senhor está restaurando as muralhas da sua alma, que talvez esteja destruida pelo medo, pelas decepções, pelas dificuldades que sugiram que levam ao desânimo. E pela sua palavra ele injeta no seu coração ânimo, coragem e fé para ver o sobrenatural de Deus acontecer, bem diante dos teus olhos, mesmo que isto lhe pareça impossível agora.
Não to mandei eu? Esforça-te, e tem bom ânimo; não temas, nem te espantes; porque o SENHOR teu Deus é contigo, por onde quer que andares.
Josué 1:9

Não to mandei eu? Esforça-te, e tem bom ânimo; não temas, nem te espantes; porque o SENHOR teu Deus é contigo, por onde quer que andares.
Josué 1:9
Não to mandei eu? Esforça-te, e tem bom ânimo; não temas, nem te espantes; porque o SENHOR teu Deus é contigo, por onde quer que andares.
Josué 1:9
E o  povo voltou a obra, e os muros foram contruídos em apenas 52 dias. 

Deus te abençoe em nome do Senhor Jesus

Pr. Antonio Cesar

terça-feira, 22 de maio de 2012

A religiosidade sem Deus




Por Eliseu Antonio Gomes
Do blog Belverede

É muito triste encontrar pessoas dedicadas à religião, porém, desconhecedoras de Deus, embora acreditem que o conheçam.

O apóstolo Paulo chamou a atenção de todos nós, ao lembrar que o exercício religioso é um potente alimento da carne. Ou seja, nem sempre praticar religião é sinônimo de caminhar no Espírito (Colossenses 2.20-22; Gálatas 5.16-23).

Considero importante a reunião regular em uma igreja, mas jamais o estatuto de uma instituição humana poderá estar em mais alto conceito do que os mandamentos do Senhor. A partir do momento que uma pessoa troca esses valores, ela passa de espiritual para alguém meramente religiosa.

Sou favorável à erudição, porém é preciso lidar com ela com equilíbrio. Há quem valorize mais os diplomas de academia teológica do que as Boas Novas do Senhor. Usam nomenclaturas extrabíblicas - arminianismo, calvinismo, etc - para reprovar a fé alheia.

Religiosos não se dedicam ao crescimento do reino de Deus, mas ao crescimento de uma denominação ou movimento, à expansão de uma ideia ou filosofia. Assim como torcedores de times de futebol empunham bandeiras e usam uniformes, os religiosos torcem por uma placa denominacional e defendem teorias e regras criadas por homens. Ou seja, mesmo portando uma Bíblia não têm o conteúdo bíblico como regra de fé e conduta. Para eles está em primeiro lugar o credo da instituição a que pertencem e não o Evangelho de Cristo que nos ordena amar, mesmo que citem o nome de Jesus e trechos do Antigo e Novo Testamento em seus argumentos.

Os religiosos colocam o ponto de vista humano acima do mandamento do amor a Deus e ao próximo. São portadores de orgulho denominacional. São propensos a agredir, de maneira verbal e às vezes até física, em defesa de seu grupo e interesses. Consideram que esse tipo de falta de amor é prestação de serviço ao Senhor.

Faz um bom tempo que eu decidi parar de conversar sobre as Escrituras Sagradas com religiosos fanáticos, porque percebi que eles consideram todos os discordantes como inimigos.

A minha decisão em parar de conversar com religiosos fanáticos foi porque eles, apaixonados pela causa terrena, perdem a compostura objetivando fazer prevalecer à opinião da religião que estão agregados. Como praticar inimizade os expõe como carnais, douram a pílula usando eufemismo, dizem opinar negativamente em nome da apologia cristã. Dizendo fazer uso da apologética sentem-se livres para classificar desafetos e "concorrentes" como lobos em pele de cordeiro, mercenários e hipócricas.

Leitor (a), todo cuidado é pouco. Não é porque alguém recebe adjetivos de outra, que se apresenta com título de apologista cristão, que de fato o alvo da crítica seja o que é dito que ela é. Não se apresse em deduções e nem se deixe guiar por julgamentos de irmão contra irmão. Existe uma indústria se alimentando com essa pseudo-apologética cristã. São produzidos livros, DVDs, palestras. Há quem esteja ganhando muito dinheiro com a realização de maledicência, julgamentos injustos.

“Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros” – João 13.35.

“O amor não faz mal ao próximo. De sorte que o cumprimento da lei é o amor” – Romanos 13.10.

“Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor” – 1 João 4.8.

LAODICEIA, UMA IGREJA MORNA.



A Fundação da Igreja em Laodiceia
Laodiceia recebeu este nome em 250 a.C, após ser conquistada pelo governador sírio, Antíoco II, em homenagem a sua esposa Laodice. Em 133 a.C. os romanos fizeram da cidade um centro judicial e administrativo, investindo também em sua infra-estrutura, cooperando dessa forma para que se transformasse num rico centro comercial. Suas atividades econômicas envolviam a industria de lã negra, o manufaturamento de vestimentas comuns e caras, e a invenção e produção de um colírio eficaz para os olhos.[1]Essas atividades, e a riqueza material delas advindas será utilizada por Jesus como metáfora para descrever a real condição espiritual da igreja em Laodiceia.
Uma característica bem peculiar da cidade, que será também citada metaforicamente por Jesus, era a qualidade de sua água. A cidade era abastecida pela água que vinha de Heliópolis, que ficava a uma distância de aproximadamente dez kilômetros, que chegava em Laodiceia morna e saturada com carbonato de cálcio, onde bebida naquelas condições induzia ao vômito.[2]
O templo para o culto ao imperador ocupava um lugar central na cidade.[3]
Assim como no caso de Éfeso, Esmirna, Pérgamo, Tiatira, Sardes e Filadélfia, o Evangelho pode ter chegado em Laodiceia através da obra missionária de Paulo (At 19.10), mas não devemos descartar a hipótese de que testemunhas e convertidos no dia de Pentecostes poderiam ter sido os primeiros a levar o Evangelho para aquela região (At 2.5-11).
A Condição da Igreja em Laodiceia
Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente. Quem dera fosses frio ou quente! Assim, porque és morno e nem és quente nem frio, estou a ponto de vomitar-te da minha boca; (Ap 3.15-16)
A condição espiritual da igreja em Laodiceia se assemelhava com a mornidão da água da cidade. Laodiceia vivia um modelo de cristianismo tão apático, que as suas obras não eram sequer dignas de serem mencionadas. Pregação, ensino, evangelização, discipulado e outras realizações parecem não fazer parte da agenda da igreja em Laodiceia. É nesse ponto que encontramos na carta o primeiro sinal da manifestação da graça de Jesus operando em favor dos crentes laodicenses. Ele declara: “estou a ponto de vomitar-te da minha boca”. O tempo verbal no grego implica uma ação ainda não executada, ou seja, apesar da condição da igreja, a graça de Jesus estava dando aos crentes em Laodiceia tempo para se arrependerem após a leitura da carta.[4] Muitas igrejas locais ao longo da história já foram vomitadas pelo Senhor, por desprezarem ou abusarem da graça, que sempre precede o juízo de Deus.
[...] pois dizes: Estou rico e abastado e não preciso de coisa alguma, e nem sabes que tu és infeliz, sim, miserável, pobre, cego e nu. (Ap 3.17)
Os comentaristas estão divididos se a declaração de Jesus aqui diz respeito a um sentimento de auto-suficiência espiritual ou material da igreja em Laodiceia. Na realidade, os dois tipos de sentimento são perniciosos. Nossa Assembleia de Deus, assim como qualquer outra denominação evangélica, precisa estar alerta para esse tipo de postura.
Nenhuma igreja pode se vangloriar do poder do Espírito e dos dons que nela opera, do capital teológico e cultural que possui, de sua riqueza musical, nem de qualquer outra riqueza espiritual. O que temos e somos, temos e somos pela graça de Jesus.
E o que falar das coisas materiais? Mas uma vez temos aqui um alerta contra os perigos das ideias fomentadas pela Teologia da Prosperidade e da Vitória Financeira. Ser rico não é pecado (nem ser pobre também), mas implica em muitos perigos:
Ora, os que querem ficar ricos caem em tentação, e cilada, e em muitas concupiscências insensatas e perniciosas, as quais afogam os homens na ruína e perdição. Porque o amor do dinheiro é raiz de todos os males; e alguns, nessa cobiça, se desviaram da fé e a si mesmos se atormentaram com muitas dores. [...] Exorta aos ricos do presente século que não sejam orgulhosos, nem depositem a sua esperança na instabilidade da riqueza, mas em Deus, que tudo nos proporciona ricamente para nosso aprazimento; que pratiquem o bem, sejam ricos de boas obras, generosos em dar e prontos a repartir; que acumulem para si mesmos tesouros, sólido fundamento para o futuro, a fim de se apoderarem da verdadeira vida. (1 Tm 6.9, 10, 17-19)
A prosperidade espiritual, ministerial, financeira e material, quando graciosamente, e não barganhosamente adquirida, não deve alimentar nossas loucas concupiscências, nem fortalecer nenhum sentimento de orgulho e auto-suficiência. A igreja em Laodiceia não apenas vivenciava, mas também verbalizava a sua aparentemente rica, mas na realidade infeliz, pobre e miserável condição.
A igreja em Laodiceia foi vitimada também pelo auto-engano, tendo uma visão equivocada de si mesma. A igreja em Laodiceia estava cega ao ponto de não perceber a sua nudez espiritual. Uma coisa é aquilo que pensamos de nós mesmos, e outra é o que Deus pensa e diz sobre nós. Precisamos nos ver como Deus nos vê. Precisamos nos perceber como Deus nos percebe. Foi percebendo tal necessidade, e se achando incapaz de ter uma visão real de sua própria condição, que o salmista orou ao Senhor:
Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração, prova-me e conhece os meus pensamentos; vê se há em mim algum caminho mau e guia-me pelo caminho eterno. (Sm 139.23-24)
Oremos ao Senhor, para que Ele comunique à nossa consciência o nosso real estado espiritual, para que assim possamos ser poupados do vômito divino.
Aconselho-te que de mim compres ouro refinado pelo fogo para te enriqueceres, vestiduras brancas para te vestires, a fim de que não seja manifesta a vergonha da tua nudez, e colírio para ungires os olhos, a fim de que vejas. (Ap 3.18)
Mas uma vez temos aqui a graça de Jesus agindo em favor da igreja. O texto se equipara ao que encontramos em Isaías 55.1:[5]
Ah! Todos vós, os que tendes sede, vinde às águas; e vós, os que não tendes dinheiro, vinde, comprai e comei; sim, vinde e comprai, sem dinheiro e sem preço, vinho e leite.
Como podemos comprar alguma coisa do Senhor? Somente através da graça é possível obter dele ouro refinado, vestiduras brancas e colírio. A fala de Jesus assume o tom de um amável conselho.
Eu repreendo e disciplino a quantos amo. Sê, pois, zeloso e arrepende-te. (Ap 3.19)
O amor de Jesus não implica numa tolerância conivente. Quando se faz necessário ele nos disciplina, e faz isso ainda em amor (Hb 12.5-11). Os crentes em Laodiceia tinham abandonado o zelo pelas coisas do Senhor. O termo gregozelos em sentido figurado positivo(Jo 2.17; Rm 10.2; 1 Co 14.1; 2 Co 7.7,11; 11.2; Cl 4.13) implica em ardor, cuidado, fervor, características que deveriam ser buscadas pela igreja.
A necessidade de arrependimento é aqui também declarada. O arrependimento que possibilita novamente o perdão e aceitação de Deus é mais do que simples verbalização de frases prontas e impressionistas. O termo grego para “arrependimento” é metanoeo,que implica em mudança de pensamento ou mentalidade que resulta em mudança de sentimentos e atitudes. É uma mudança plena de uma condição que desagrada a Deus, para uma outra condição que o alegra. Arrependimento é tristeza diante do pecado, e não simples remorso (2 Co 7.10).
Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e cearei com ele, e ele, comigo. (Ap 3.20)
Que imagem forte. O Senhor da igreja, que pela altivez e orgulho dos crentes fora dela excluído, graciosamente e pacientemente bate à sua porta buscando oportunidade de cear, comungar e celebrar. Em congregações, lares e vidas, o quadro se repete na atualidade.
Que o alerta e a promessa de Jesus aos crentes laodicenses possa reverberar e encontrar guarida em vidas auto-suficientes, apáticas, indolentes e mornas:
Ao vencedor, dar-lhe-ei sentar-se comigo no meu trono, assim como também eu venci e me sentei com meu Pai no seu trono. Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas. (Ap 3.21-22).


ORAÇÃO

A oração é um meio de adoração ao Pai onde através dela quebramos as barreiras e nos achegamos mais perto da presença de Deus.

Através da oração podemos desfrutar de momentos agradáveis e transformadores diante da presença de Pai. Nela nos conseguimos nos desvencilhar de todo peso causado em conseqüência do uma grande luta espiritual travado contra nós. Ela é invisivel e consegue nos esgotar emocional, física e espiritualmente. E mesmo sem percebermos através da oração somos fortalecidos e nos revestimos para as batalhas que ainda enfrentaremos no decorrer do nosso dia. Através da oração recebemos a revelação do Pai e através desta revelação podemos contemplá-lo e adorá-lo na beleza da sua santidade.

Sem oração não á vitoria na vida espiritual, sem oração não existe revelação e sem revelação não há adoração. Disse Davi:

"De tarde e de manhã e ao meio dia orarei; e clamarei, e ele ouvirá a minha voz" (Salmos 55:17).

Pr. Antonio Cesar